Xilo-Marimba de 1992 (Restaurada em 2009)

Documentação visual do processo de restauro de um instrumento construído experimentalmente entre 1991 e 1992, para ser utilizado na Escola de Música da UFBa. Essa xilo-marimba foi utilizada com muita frequência nas atividades das classes do Projeto de Iniciação Musical com Introdução ao Teclado.

marimba-imit-ivo_400
Registro da xilo-marimba, ainda sem os tubos de ressonância.

Esse instrumento é uma xilo-marimba cromática com 29 teclas, abrangendo a extensão: C4 – E5. As barras são de pau d’arco (ipê) e o móvel é construído em cedrinho. Os ressonadores são tubos abertos de PVC.

Como as marimbas (xilofones, metalofones, vibrafones) são instrumentos teclados, com a mesma disposição visual do piano e dos teclados eletrônicos, tornam-se de um valor significativo na aquisição do conhecimento e reconhecimento do teclado, o que equivale a dizer: da disposição das notas musicais e da formação das escalas, arpejos e acordes. Por ser um instrumento de percussão, executado com a alternância das duas mãos, constitui um excelente meio de introduzir os estudantes no estudo dos instrumentos teclados.

01
Imagem do instrumento no momento inicial da revisão.

Encontrei apenas uma tecla com grau acentuado de deterioração (o C5), possivelmente devido às próprias características da madeira, que apresentava uma parte mais fofa. Esta tecla será inteiramente reconstruída e substituída no instrumento.

02
Primeiro contato e checagem da sonoridade e da afinação do instrumento.

Por incrível que pareça, o instrumento apresenta uma excelente sonoridade, mesmo após 17 anos de uso. O mesmo não se pode dizer da afinação, cujo exame mais apurado será feito numa segunda etapa.

03
Detalhe da lateral esquerda do instrumento
04
Detalhe da lateral danificada
Detalhe da lateral danificada vista de cima
Detalhe da lateral danificada vista de cima

Detalhe da parte danificada na lateral direita do instrumento, devido a algum peso que foi indevidamente colocado sobre o mesmo.

05
Peça da lateral direita retirada, para ser inteiramente reconstruída.

 

Reconstrução da base lateral direita: uma nova peça de madeira será feita em substituição à que abriu.

A reconstrução da base será feita com cedro quaruba, na falta do cedrinho, utilizado no móvel original.

06
Lateral da marimba com os furos, as cavidades marcadas e as marcas de corte para os encaixes.

07

Lateral da marimba, já com as cavidades de encaixe escavadas.

08

Aqui já se vê a peça pelo lado exterior, com os furos escareados. O acabamento será rústico, seguindo a proposta inicial, da época da construção.

10
Peça reconstruída já encaixada no local. Sucesso!

A xilo-marimba foi construída originalmente com os tubos de ressonância fixados através de longarinas de madeira. A umidade natural desse material comprometeu os parafusos, oxidando-os.

11

Constatei que após 17 anos, a umidade da madeira engripou diversos parafusos. Conclusão: será melhor optar por parafusos sextavados,  evitando a utilização dos parafusos de fenda, que foram inicialmente usados na construção da estrutura. No mais, como os professores e estudantes tiveram o maior carinho com o instrumento, não foram identificados estragos de maior relevância.

14

18

Tubos de ressonância já fixados nas barras de alumínio.

13

15

17

Detalhe dos novos tensores de metal, que foram colocados em substituição ao sistema anterior.

A xilo-marimba já concluída:

22

21

O teste, com a participação do estagiário Wagner:

23

24

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *